• Márcio de Miranda

Entidades se unem para estudo de viabilidade para criação da APCC Porto


Na manhã da última sexta-feira, 17 de março, aconteceu uma vistoria técnica com a presença de membros da Comissão de Segurança no Ciclismo da Cidade do Rio de Janeiro (CSC-RJ), da CET-Rio, Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (CDURP) e da Concessionária Porto Novo para o estudo de viabilidade da criação da nova Área de Proteção ao Ciclismo de Competição (APCC) Porto, área exclusiva para a prática do ciclismo de alto rendimento na Região Portuária do Rio de Janeiro.

- A ideia desta nova APCC é evitar acidentes, salvar vidas tanto de pedestres e ciclistas. Com esta nova opção, os ciclistas vão poder fazer treinos longos sem precisar se arriscar nas estradas. Assim os atletas podem pedalar por até 3h, em um ambiente seguro -, disse Raphael Pazos, Presidente da CSC-RJ.

Ele ainda falou que infelizmente as APPCs surgiram após vários acidentes terem ocorrido com ciclistas, alguns fatais ou que deixaram graves sequelas. A APCC Aterro foi a primeira criada em 2013 e foi batizada de Pedro Nicolay. Já a APCC Reserva tem o nome de Guilherme Paiva. Os dois faleceram durante treinamento. A futura APCC Porto será uma homenagem ao ciclista Marcos Hama, que se acidentou gravemente enquanto pedalava na estrada e hoje convive com sequelas.

O circuito acima demonstrado tem aproximadamente 10 km (ida e volta) e foi apresentado à Prefeitura do Rio pela Comissão de Segurança no Ciclismo da Cidade do Rio de Janeiro (CSC-RJ) como sugestão para a criação da terceira APCC na Cidade Maravilhosa. Desta vez na Região do Porto aos domingos e feriados das 5h às 8h como alternativa a suspensão dos treinamentos de ciclismo solicitada pela própria CSC-RJ na Área de Lazer do Aterro do Flamengo em função dos atropelamentos a pedestres durante a pratica desta modalidade esportiva.

A CSC-RJ solicitou que a Guarda Municipal se envolva diretamente na tentativa de coibir a prática do Ciclismo de Alto Rendimento no Aterro do Flamengo, fora dos dias e horários permitidos na Lei Municipal de criação da APCC do Aterro do Flamengo, mencionando também a Lei 5.629 de 7 de outubro de 2013, que limita em 20 km/h a velocidade das bicicletas em áreas de lazer, as bicicletas em treinamento, atingem velocidades superiores a 40 km/h.

Vídeos da vistoria técnica

#CSCRJ #ÁreadeLazer #Treino

cannondale.png
shimano.png
sa bs.png
MFT.png
CIMTB.png
logoLPH.png
SFEST.png
Fran Logo Branco.png