• Márcio de Miranda

Tony Martin critica UCI por benevolência com a equpie Sky e Chris Froome


O alemão tetracampeão do mundo de contra-relógio (2011, 2012, 2013 e 2016) , Tony Martin, da equipe Katuscha - Alpecin, postou no seu Facebook um manifesto de como o caso Froome está sendo tratado pela União Ciclística Internacional. Tony acha que a UCI está sendo benevolente com a equipe e com atleta, já que em casos semelhantes ela anuncia alguma punição. Chris Froome e a equipe Sky ganharam um tempo para se explicarem.

Leia abaixo o manifesto de Tony

A nossa credibilidade está em jogo! Estou tão zangado. No caso de Christopher Froome, é definitivamente medido dois níveis. Os outros atletas serão imediatamente punidos após uma amostra positiva. Ele e a sua equipe ganharam um tempo da UCI para se explicarem. Não tenho conhecimento de tal caso no passado recente. Trata-se de um escândalo, especialmente porque ele nem sequer devia ter estado na copa do mundo.

Na minha opinião e na opinião pública, a impressão de algo ocorre nos bastidores, a conivência e a procura de uma forma de sair deste caso. Ele e a sua equipe gozam de um estatuto especial? Essas ações dificultam a luta contra o doping, que eu e lidero junto com outros ciclista como Marcel Kitell. A nossa credibilidade e o nosso grande esporte estão em jogo. Precisamos de uma abordagem coerente e transparente da UCI. O que está acontecendo é incoerente, opaco, não profissional e injusto.

Entenda o caso - O britânico Chris Froome, tetracampão do Tour de France (2013, 2014, 2015 e 2017), foi pego no exame antidoping realizado durante a Volta da Espanha deste ano. Competição vencida por ele, após 21 etapas. A substancia encontrada no exame de Froome foi a Salbutamol, a mesma contida em bombinhas para asma. O que chamou atenção foi a presença acima de 1000ng / ml (*) em uma amostra coletada durante a Volta da Espanha em 7 de setembro de 2017. O britânico foi notificado em 20 de setembro de 2017. A Lista de Proibições da Agência Mundial Antidoping (WADA) prevê que a presença na urina de salbutamol acima de 1000 ng / mL ou formoterol em excesso de 40 ng / mL é presumida não ser um uso terapêutico pretendido da substância e será considerada como uma Pesquisa Analítica Adversa (AAF) a menos que o Atleta prove, através de um estudo farmacocinético controlado, que o resultado anormal foi a conseqüência do uso da dose terapêutica (por inalação) até a dose máxima indicada acima.

#Doping #UCI #Froome #VoltadaEspanha #TourdeFrance

cannondale.png
shimano.png
sa bs.png
MFT.png
CIMTB.png
logoLPH.png
SFEST.png
Fran Logo Branco.png