• Márcio de Miranda

Equipe de ciclismo de Ribeirão Preto vai disputar a 75ª Volta do Uruguai


A equipe de ciclismo de Ribeirão Preto (São Francisco Saúde/Klabin/SME) estreia nesta sexta-feira, 23, na 75ª edição da Volta do Uruguai, tradicional competição do ciclismo sul-americano. Durante 10 dias de prova, os ciclistas percorrerão mais de 1500 km, divididos em 12 etapas.

Para o desafio uruguaio, o técnico Marcelo Donnabella convocou Rafael Andriato, Cristian Egídio, Atílio Fetter, Rodrigo Melo, Maurício Knapp e Rodrigo do Nascimento. Ele acredita que a competição será uma excelente oportunidade para presenciar a evolução da Equipe, tricampeã nacional do ranking de estrada, e que vem de fortes disputas em solo argentino no início de 2018.

- Nós queremos fazer boas etapas e seguir nessa crescente. Vamos entrosados, preparados e esperamos conquistar bons resultados nas etapas -, disse.

Além de Ribeirão Preto, estarão presentes na Volta muitas das principais equipes do continente sul-americano como Argentina, Uruguai, Colômbia, Brasil, dentre outras. A expectativa é de mais uma prova do mais alto nível em 2018.

- É fundamental para o crescimento de uma Equipe que cada vez mais almeja essa evolução, estar sempre competindo contra as melhores. Em 2018 estamos em constantes disputas contra as principais do continente e do país. Os resultados começam a ser presenciados. Estamos em um bom ritmo -, completou Donnabella.

Em 2017, Rodrigo Melo venceu a 2ª etapa da prova. Na atual temporada os ciclistas de Ribeirão vão em busca de repetir o feito. Além disso, outro que vive um bom momento é Atílio Fetter, atual vice-campeão sub-23 da Volta de Mendoza.

A disputa da Volta do Uruguai pode ser considerado um feito notável pois é a terceira prova internacional que a equipe vai disputar em apenas dois meses. No final de janeiro disputou a Volta de San Juan e na metade de fevereiro esteve em Mendoza, ambas as competições na Argentina.

A 75ª Volta do Uruguai terá 12 etapas, dividas em 10 dias consecutivos. Na primeira, os atletas sairão de Atlântida rumo à Castillos, num percurso de 201 km, o maior dentre as provas. Depois, no sábado, duas provas no mesmo dia, sendo a primeira CRE (contra-relógio por equipes) e a segunda prova de estrada.

Já no domingo, o trajeto será de Saca até Rosário. A quarta será de Cardona a Mercedes, em um trecho de 165 km. Na terça-feira, a competição chega à sua metade. A quinta etapa, que passará por Young e Durazno terá 164 km.

Depois, na sexta fase da Volta, serão 197 km entre Durazno e Tacuarembó. Na sétima, mais 114 km saindo de Tacuarembó até Las Toscas de Caraguatá. Não oitavo dia mais duas provas. CRI (contrarrelógio individual) em Melo. Mais tarde, na prova B, outros 105 km saindo de Melo até Treinta y Tres.

Chegando na fase final da corrida, na nona etapa, o deslocamento é de 165 km de Treinta y Tres à Minas. Por fim, no domingo de Páscoa, 1º de abril, a maratona chega ao fim com o trajeto de Minas a Montevidéu, percorrendo 130 km.

#CiclismodeEstrada

cannondale.png
shimano.png
sa bs.png
MFT.png
CIMTB.png
logoLPH.png
SFEST.png
Fran Logo Branco.png