• Márcio de Miranda

Maio Amarelo: Avenida Paulista tem ponto de apoio gratuito aos ciclistas até a próxima sexta-feira


A Ciclovia da Avenida Paulista recebe nesta semana, entre segunda e sexta-feira (21 a 25), das 8h às 17h, o serviço de Suporte Neutro Básico, um apoio gratuito aos ciclistas que passarem pela Praça do Ciclista, próximo à Rua da Consolação. Na tenda da Shimano montada no local, é possível realizar reparos simples como enchimento de pneus, regulagens de câmbio e freio, ajustes nas bicicletas, além de dicas para pedalar com segurança aproveitando a ação de conscientização da Secretaria de Mobilidade e Transportes de São Paulo. A tenda de apoio aos ciclistas na Praça do Ciclista faz parte do Movimento Maio Amarelo, que orienta motoristas, pedestres, ciclistas, motociclistas e a sociedade em geral, para a necessidade da busca por um trânsito mais seguro, que retorna em 2018. E, pelo segundo ano consecutivo, a Shimano, líder mundial no mercado de componentes para bicicleta, marca sua presença na ação, em parceria com a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) da cidade de São Paulo. - Neste ano nossa ação de apoio gratuito aos ciclistas de São Paulo teve início há duas semanas, na Ciclovia da Faria Lima, e agora estamos com uma base na Avenida Paulista. Estive em ambos os locais e fiquei satisfeito com o atendimento feito às pessoas que passaram pelo Suporte Neutro Básico da Shimano. Alguns passam por lá com mais pressa, param para fazer um ajuste e logo seguem viagem. Em outros casos, pudemos até bater papo com alguns usuários das Ciclovias, aproveitar para chamar atenção com relação ao Maio Amarelo e a segurança e respeito às normas de trânsito por parte dos ciclistas. A interação é sempre muito positiva, dá para perceber como a bicicleta poder transformar vidas e melhorar a forma como enxergamos o convívio nas ruas -, destaca Rogerio Tancredi, gerente comercial e de marketing da Shimano Latin America.

A ação de Suporte Neutro Shimano, apoio técnico a todos os atletas inscritos em competições de ciclismo, independente da marca da bicicleta, componentes e patrocinadores, tornou-se uma marca registrada e diferencial da Shimano. Este serviço de ajuda ao ciclista virou um case de sucesso, conquistou milhares de fãs para a Shimano e é realizado em alguns dos principais eventos ciclísticos no País e América Latina. Desde janeiro de 2016, as duas principais ciclovias da cidade de São Paulo têm instaladas em seu percurso os contadores de bicicletas da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). A mais utilizada, a Ciclovia da Faria Lima, teve nestes dois anos e quatro meses um total de 2.263.577 passagens, entre 17 de janeiro de 2016 até 21 de maio de 2018. Já no contador da Vergueiro, que contempla a Ciclovia da Paulista, 1.392.880 passagens, no mesmo período. Todos os números estão disponíveis diariamente no site da CETSP. Aprovado em 2016, o Programa Bike SP (Lei nº 16.547, de 21 de setembro de 2016) vai oferecer créditos para quem usar a bicicleta em seus deslocamentos pela cidade de São Paulo em vez de carro, ônibus ou outros meios de transporte cobertos pelo Bilhete Único. Neste sábado e domingo (dias 26 e 27), hackers e programadores estarão reunidos na Hack’n Bike, maratona de desenvolvimento para criar sistemas de controle para o Bike SP, validando as viagens e criando ferramentas para o cumprimento da lei. Os melhores trabalhos concorrem a R$ 19 mil em prêmios. - Hoje, o cidadão paga R$ 4,00 pela passagem, mas o preço final com o subsídio da Prefeitura chega a R$ 6,66, em média -, explica o vereador Police Neto. - O programa transforma a diferença de R$ 2,66 em créditos para quem se cadastrar no sistema e realizar suas viagens de bicicleta. Podemos revolucionar o uso da bike em São Paulo sem gerar novos custos e ainda desafogar o sistema, com menos congestionamentos e uma melhora geral na mobilidade urbana. Além de todas as vantagens que a bicicleta traz: promove a saúde e não polui o meio ambiente -, completa Police. Pesquisa recente do Cebrap/Itaú Unibanco mostra que ampliar o uso da bicicleta poderia adicionar R$ 870 milhões ao PIB da cidade, só considerando a redução do tempo gasto no trânsito. O Hack’n Bike é realizado pela Cidade Viva, incubadora de projetos criada por Police Neto, com patrocínio da Yellow, Tembici, Caloi, Shimano e Eureka Coworking, e tem o apoio da Shawee.io, Trunfo e Bike Ajuda. - A Shimano apoia iniciativas públicas e privadas em prol do desenvolvimento da cultura e do mercado de bicicletas no Brasil. A utilização da solução de Bike Share aliada ao Programa Bike SP trará muitos benefícios para a mobilidade em São Paulo -, ressalta João Magalhães, coordenador de comunicação da Shimano Latin America.

#Mobilidade

cannondale.png
shimano.png
sa bs.png
MFT.png
CIMTB.png
logoLPH.png
SFEST.png
Fran Logo Branco.png