• Márcio de Miranda

De olho no bicampeonato, Igor Amorelli encara forte concorrência no Ironman Brasil


Vaga em Kona e um sonhado bicampeonato! É com esse pensamento que o catarinense Igor Amorelli disputa o Ironman Brasil neste domingo (26), em Florianópolis (SC). Campeão da prova em 2014 e único atleta da América do Sul a completar os 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida em menos de oito horas (na edição de 2015), Igor terá pela frente forte concorrência, todos de olho na classificação para o Mundial de Ironman, no Havaí. Após a mudança no formato de classificação para o Mundial a prova de Florianópolis passou a ter ainda mais importância no cenário internacional. Antes os atletas garantiam a classificação através de um ranking e agora são os resultados individuais em cada prova que concedem as vagas para Kona. No Ironman Brasil, uma vaga está garantida ao campeão do evento.

Com isso, muitos atletas estrangeiros estarão em Florianópolis. “A prova vai ficar bem disputada, com mais nomes fortes. Será muito equilibrada e, no final das contas, mais rápida, ainda mais com as mudanças no percurso de corrida. Acredito que a diferença das colocações será pequena e teremos uma disputa maior até o fim da prova”, avalia Igor. Entre os favoritos estão o norte-americano Andrew Potts, campeão pan-americano no Rio de Janeiro e do Mundial Ironman 70.3, ambos em 2007 e seis vez top-10 em Kona; o francês Cyril Viennot, campeão mundial de longa distância (2015) e vencedor do Ironman da Dinamarca (2018) e Ironman 70.3 Peru (2018); o dinamarquês Mikkel Mortensen, campeão mundial de Longa Distância (2018) e prata no Mundial Ironman Kona (25/29 anos), além dos brasileiros Guilherme Manocchio, Thiago Vinhal, Bruno Matheus, Danilo Melo, Eduardo Lass, Felipe Manente, Frank Silvestrin, Iuri Vinuto, Luis Henrique Ohde, Luiz Francisco Paiva Ferreira, Paulo Roberto Maciel da Silva e Vinicius Canhedo. Vitória no 70.3 de Florianópolis e boa fase de treinamentos:

A atual temporada começou de maneira diferente para Igor. Uma mudança de estratégia fez com que o catarinense aumentasse o período de treinamentos e a estreia em provas ocorresse no final de abril. A nova dinâmica funcionou bem com a vitória no Ironman 70.3 Florianópolis, que também serviu de base para o Ironman Brasil. “Foi muito bom ter ganho em Floripa, pois fez parte da preparação. Quatro semanas antes do Ironman Brasil, no mesmo percurso, especialmente no ciclismo. Um teste muito bom e que mostrou estarmos no caminho certo. Depois conseguimos recuperar bem e dar continuidade nos treinos e chegar prontos para o desafio do Ironman”, revela Igor. Sobre seu atual momento, o catarinense está confiante, mas mostra sabedoria na hora de prever qualquer resultado. “Estou chegando bem, com uma consistência muito boa para esse começo de ano. Na teoria tudo se mostra muito bem, mas agora temos que colocar em prática. Estou animado e tem tudo para dar certo”, encerra.

#Ironman #Triatlo

cannondale.png
shimano.png
sa bs.png
MFT.png
CIMTB.png
logoLPH.png
SFEST.png
Fran Logo Branco.png