Sense Enduro Cup define os primeiros campeões brasileiros oficiais da categoria

18 Nov 2019

 

No começo do ano, o Sense Enduro Cup foi apresentado com uma grande novidade para os atletas profissionais de Enduro no Brasil. Graças à uma parceria com a Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), a série passou a receber a chancela da entidade máxima do ciclismo nacional, o que permitiu a criação do primeiro Campeonato Brasileiro oficial da modalidade - com direito a camisa de campeão e tudo mais.

 

Para tornar as coisas ainda mais interessantes, a organização propôs um formato diferente para as três etapas da série, com uma grande arena e estrutura completa de apoio para atletas, acompanhantes e público, além de aproximar fãs e ídolos, com um pátio fechado para os pilotos e um prólogo acontecendo sempre ao lado da estrutura de apoio. 

 

 

Neste cenário de total integração, Bernardo Cruz e Danielle Daher tornaram-se os primeiros campeões brasileiros da modalidade, com a decisão acontecendo apenas na terceira etapa, realizada em Urubici, Santa Catarina, nos dias 16 e 17 de Novembro. Lá, os atletas encararam sete especiais cronometradas, contando com o prólogo, que aconteceu no sábado, depois do reconhecimento de percurso. 

 

“Urubici é uma cidade maravilhosa, que acolheu a todos de forma fantástica! É um paraíso em território brasileiro, com pistas muito rápidas, saltos, curvas e muito flow”, explicou Christian Wagner, responsável pela Projeto Trilhas e diretor técnico da prova.

 

Antes da final, o Sense Enduro Cup já havia passado por Nova Lima, Minas Gerais, nos dias 6 e 7 de Abril e por Petrópolis, Rio de Janeiro, em 13 e 14 de Julho. Em Minas, as pedras e o minério, típico da região, foram o ponto alto, com as grandes inclinações nas subidas e descidas sendo a marca registrada das especiais na região serrana do Rio.

 

 

Entre as mulheres, ambos os estágios tiveram Danielle Daher como vencedora, com a atleta somando 600 pontos. Nara Faria, a segunda colocada na geral, acumulava um total de 500 pontos. Já entre os homens, a liderança estava com Bernardo Cruz, atleta que levou a etapa de Petrópolis e ficou em terceiro em Nova Lima, somando assim 520 pontos. O segundo posto pertencia à Julio Giani, com 430 pontos. 

 

A disputa seguiu bastante intensa na etapa final, mas no fim, o mais rápido do dia e também do ano, foi Bernardo Cruz, que fechou todas as especiais com o tempo de 00:18:04.550. O segundo posto ficou com André Bretas, com Julio Giani fechando o Top 3. Na elite feminino, Danielle Daher, a vencedora de todas as etapas até então, chegou apenas em quinto lugar, gerando um grande suspense na contagem dos pontos. No fim, a atleta acabou subindo no lugar mais alto do pódio, com a vitória da etapa ficando para Luana Oliveira. 

 

“Não tenho nem o que dizer, apenas agradecer a Sense por esse grande evento. Tudo com muita qualidade, o lugar para as famílias, o lugar para os pilotos, trilhas muito bem feitas. Foi mais do que uma competição, foi um grande evento”, afirmou Bernardo. 

 

“Estamos no caminho certo. A Sense abraçou uma causa nobre, já que nosso esporte estava bem caído. Eles fizeram um marco no esporte e, tenho certeza, que as coisas vão melhorar ainda mais com os anos”, complementou. 

 

Além de ser o primeiro campeonato brasileiro oficial de Enduro, o Sense Enduro Cup tem o objetivo de estimular o fun-ride, os pedais puramente por diversão, que são sucesso mundo afora. Por isso, a ideia da Sense com a série foi aproximar pilotos profissionais, atletas amadores, público e famílias, sempre com a Arena servindo de ponto de encontro e de apoio para isso. Porém, para o ano que vem, o fabricante nacional promete levar este conceito ainda mais adiante. 

 

 

Segundo Henrique Ribeiro, CEO da Sense Bike, o momento agora é seguir o desenvolvimento natural do Enduro, do All-Mountain e do E-MTB, atraindo mais adeptos dos pedais for-fun, principalmente no quesito “integração com a família”. 

 

“Além da ênfase que vamos dar ao E-MTB, categoria que está crescendo muito rápido e precisa de um novo formato, queremos integrar muito a linha de produtos Grom, bicicletas para jovens descolados, que querem curtir uma mountain bike de verdade, no ambiente do Enduro”, finalizou Henrique Ribeiro. 

 

Ainda falando sobre a presença das bikes elétricas, que cresceu bastante ao longo do ano, a organização promete repensar alguns aspectos da prova, criando desafios que possam atrair aqueles atletas que pedalam bicicletas com pedal assistido, algo que já começou a aparecer na etapa de Urubici.

 

“Nesta etapa preparamos algo especial para o pessoal das E-Bikes. Eles fizeram oito especiais, com deslocamentos mais desafiadores para este tipo de bicicleta. Isso para mostrar que o esporte está evoluindo bastante e que essas máquinas realmente são equipamentos de alta performance”, comentou Christian Wagner. 

 

 

Além de famílias, crianças e atletas de todos os níveis, o Sense Enduro Cup também quer atrair aqueles que estão mais acostumados com provas de cross-country ou mesmo com pedais de passeios, oferecendo diferenciais pensados para públicos distintos. 

 

“Correr de enduro é outro astral. Já tinha corrido de cross-country e o Enduro é um esporte em conjunto. Cada ponto que a galera encontra no reconhecimento, o pessoal conversa, troca experiências...é outro astral”, comentou Walfried Weissmann, o Bob Show, que correu a primeira etapa da competição em Nova Lima.

 

“Na minha opinião, o Enduro é uma evolução do cross-country. Ele acaba pegando um pouquinho de tudo e você também pedala. Não é downhill e você precisa cumprir um tempo entre as especiais, mas também não é aquela correria das prova de XC, e você tem que dar o seu melhor nas descidas”, complementou Weissmann. 

 

“Muitas pessoas acham que o Enduro é muito radical, talvez por associarem a prova com o Downhill, mas a verdade não é assim. É possível, inclusive, correr a prova apenas pelo turismo, totalmente for-fun”, afirmou Gustavo Abah. "Em todas as etapas fornecemos carretos e resgate, para criar uma boa relação entre o tempo de descida e os deslocamentos. A ideia é que a pessoa participe da prova, se divirta e ainda chegue inteiro, a ponto de curtir um show e aproveitar com a família”, finalizou.

 

Resultados Urubici

 

Elite Masculino

1 - Bernardo Cruz

2 - André Bretas

3 - Julio Giani

4 - Leonardo Mattioli

5 - Henrique Becker

 

Elite feminino

1 - Luana Oliveira

2 - Nara Faria

3 - Monica McCosh

4 - Barbara Jechow

5 - Danielle Daher

 

Resultados Finais

 

Elite Masculino

1 - Bernardo Cruz

2 - Julio Giani

3 - Henrique Becker

 

Elite Feminino

1 - Danielle Daher

2 - Nara Faria

3 - Barbara Jechow

 

Compartilhar
Twittar
Please reload

Siga o Planeta da Bike
  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Cinza ícone do YouTube
Please reload

Procurar por Tags
PDB 72 BR Ride.jpg
Nosso canal no Youtube
logo timeraiz.png
logoLPH.png
PDS CLEAN.png