top of page

CIMTB lança manifesto pela vida e respeito aos ciclistas do Brasil



" Por As notícias de atropelamento de ciclistas, em ruas ou estradas por todo nosso País, é sempre dolorosa para nós, principalmente para quem trabalha há tantos anos com esse esporte tão apaixonante. Entra ano, sai ano, e as coisas não mudam. Infelizmente, neste último domingo (28/05), nos deparamos com mais um atropelamento.


Desta vez (ou melhor, mais uma vez), aconteceu praticamente na “porta de casa” da CIMTB. Nos dias 23 a 25 de junho Nova Lima (MG) receberá uma etapa da competição, de forma inédita. Porém, a menos de 30 dias para a realização do evento, recebemos essa notícia, de que um ciclista foi atropelado no acostamento da BR-040, em um trecho que faz parte do município nova-limense. Sua bicicleta ficou completamente destruída. É triste. É revoltante. As notícias dão conta de que o ciclista, Magno Carvalho, sobreviveu e está internado, aparentemente, sem correr risco de morrer (Deus queira que ele fique bem). Mas, em uma rápida pesquisa, vemos que é a terceira vez que um ciclista é atropelado nesta estrada, nesta mesma região, nos últimos dois meses. Em um desses casos, o ciclista Eduardo Lobato faleceu logo após o acidente, no início do último mês de abril, quando foi atropelado por um motorista embriagado.



O outro caso foi do triatleta Thiago Barbosa. Ele treinava com um amigo quando foi atingido por um carro. Um jovem, de 18 anos, sem carteira de habilitação, dirigia o veículo que era de um primo. Ele fugiu do local do acidente e se apresentou à polícia depois. No último caso do domingo passado, apareceram vários vídeos do motorista que causou o acidente dirigindo perigosamente antes de cometer o atropelamento no acostamento.

O artigo 193 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), proíbe qualquer tipo de tráfego em acostamento. Com isso, a infração por andar nele é gravíssima, no valor de R$293,47 e gera sete pontos na CNH. Além disso, essa multa entra no fator multiplicador, ou seja, é multiplicada por três vezes do valor inicial, passando a custar R$880,41. Mas, a pergunta que aqui fica é: qual é o valor da vida de quem é atropelado?


O organizador da CIMTB, Rogério Bernardes, sempre diz que temos ótimas leis e basta que as pessoas as sigam. Temos, no entanto, uma questão cultural na maior parte do nosso país, de que uma minoria de motoristas inconsequentes cometem infrações constantes, sejam leves ou gravíssimas, sem ter o menor respeito pelas vidas das pessoas.


Fato é que, como já dissemos anteriormente aqui, trafegar pelo acostamento é proibido e pelo CTB é uma infração gravíssima. Quem assume este risco, muitas vezes acaba atropelando ciclistas ou pedestres que estão ali apenas usando a via para se locomover ou treinar, transformando a vida das vítimas e de seus familiares e amigos. Usando seu direito de uso da rodovia sem trazer insegurança para ninguém. Nova Lima é um dos berços do ciclismo no País. Não queremos que deixe de ser, e exigimos segurança para os nossos ciclistas". Por Copa Internacional de Mountain Bike (CIMTB).

Commentaires


Siga o Planeta da Bike

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Nosso canal no Youtube

bottom of page