top of page

Seleção Brasileira de Paraciclismo embarca dia 16 para Tóquio


Seleção Brasileira de Paraciclismo / Divulgação CBC

A seleção brasileira de paraciclismo segue na reta final de treinamentos para Tóquio-2020, o local escolhido foi a cidade do Rio de Janeiro, onde seguirá concentrada até o próximo dia 16 de agosto, quando embarca para o Japão. A equipe é formada por cinco atletas e estará representada nas provas de pista e estrada.


Durante os próximos dias, a comissão técnica vai aproveitar o grupo para aperfeiçoar pontos específicos da preparação esportiva e também intensificar o trabalho de fisioterapia e recuperação, promovendo uma melhor mobilidade e evitando lesões nos períodos decisivos de treinamento.


"A ansiedade agora vai só aumentando, mas o trabalho está sendo muito bem realizado, estamos com a nossa comissão técnica completa acompanhando os atletas e isso traz uma segurança necessária para este momento. O grupo inteiro está muito focado, os atletas estão se dedicando muito e agora é fazer os últimos ajustes antes do início dos Jogos Paralímpicos", comentou Edilson Rocha "Tubiba", coordenador do Paraciclismo na CBC e Chefe de Missão em Tóquio.


A lista de convocados do ciclismo para os Jogos Paralímpicos de Tóquio-2020 tem o atual campeão mundial de paraciclismo de estrada Lauro Chaman, que estará acompanhado pelos atletas Carlos Soares e André Grizante, nas provas masculinas, enquanto Ana Raquel e Jady Malavazzi serão as representantes no feminino.


Seleção Brasileira de Paraciclismo / Divulgação CBC

A delegação é composta pelos técnicos Armando Camargo, Cláudio Civatti e Cláudio Diegues, pelo mecânico Adilson Oliveira, pelo Coordenador Romolo Lazzaretti e por Edilson Rocha "Tubiba", que será o Chefe de Equipe.


O Paraciclismo brasileiro estreia em Tóquio no dia 25 de agosto, nas disputas das provas de Pista, que acontecem até o dia 28 no Velódromo de Izu. As provas de estrada serão disputadas entre os dias 31 de agosto e 3 de setembro.


PERFIL:



LAURO CÉSAR MOURO CHAMAN

Categoria: CLASSE C5

Nascimento: 25/06/1987

Cidade: Araraquara (SP)

Participações Paralímpicas: Rio 2016


Lauro nasceu com o pé esquerdo virado para trás. O atleta passou por cirurgia para corrigir o problema, mas o procedimento acarretou a perda do movimento do tornozelo. Por conta disso, teve atrofia na panturrilha.


A bicicleta sempre foi utilizada por Lauro como meio de transporte e, aos 13 anos, ele começou a competir em provas tradicionais de Mountain Bike enfrentando atletas sem nenhuma deficiência. Com 19 anos, passou por classificação funcional e começou a disputar competições oficiais de paraciclismo de Estrada e Pista.


Atualmente, Lauro chaman é o único atleta brasileiro medalhista em jogos paralímpicos/olímpicos, tendo conquistado duas medalhas na Rio 2016, sendo uma prata na prova de resistência e um bronze no contrarrelógio. O atleta é o atual Campeão Mundial de Estrada e apresentou grandes resultados durante todo o ciclo paralímpico de Tóquio, subindo ao pódio em todos os Campeonatos Mundiais e Copas do Mundo que participou durante os anos de 2017 a 2021. Nesse período, Lauro conquistou o título de campeão mundial em três oportunidades, duas vezes na Estrada (2017 e 2021) e uma vez na Pista (2018).



JADY MARTINS MALAVAZZI

Categoria: CLASSE H3

Nascimento: 07/09/1994

Cidade: Jandaia do Sul (PR)

Participações Paralímpicas: Rio 2016


Jady perdeu o movimento das pernas quando ainda tinha 13 anos de idade, após se envolver em um grave acidente de carro em 2007. O veículo que estava com Jady e sua mãe foi colidido por um veículo desgovernado que invadiu a contramão depois do motorista ter dormido ao volante.


Sua reabilitação foi realizada em Brasília, no Hospital Sarah Kubitschek, onde teve o seu primeiro contato com o esporte adaptado. Inicialmente começou a jogar basquete em cadeira de rodas e, pouco tempo depois, em 2010, conheceu o paraciclismo. A sua evolução no esporte foi muito rápida, passando a competir em alto rendimento já no ano seguinte, em 2011, quando foi convocada para a seleção brasileira que disputou os Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara, no México, e conquistou a medalha de prata. Jady também soma duas medalhas em mundiais e seis pódios em etapas da Copa do Mundo.



CARLOS ALBERTO GOMES SOARES

Categoria: CLASSE C1

Nascimento: 31/12/1994

Cidade: Anápolis (GO)

Participações Paralímpicas: Estreia em Tóquio


Quando tinha 6 anos de idade, Carlos foi diagnosticado com paraparesia espástica, doença que atrapalha na sua locomoção e compromete a mobilização da sua perna esquerda. Na adolescência, chegou a tentar jogar futebol para conseguir se manter próximo aos amigos, mas não tinha um bom rendimento devido à dificuldade de conseguir correr.


Carlos Alberto teve o primeiro contato com o paraciclismo em 2016, quando começou a pedalar em bicicletas da disciplina de Estrada. No ano seguinte, participou da primeira competição oficial e já em 2018 foi convocado para representar a seleção brasileira no Campeonato Mundial de Paracicismo de Pista, no Rio de Janeiro. Após essa participação, passou a ser convocado com frequência e representa as cores do Brasil nos principais eventos internacionais, inclusive obtendo bons resultados em Copas do Mundo e Campeonatos Mundiais.



ANDRÉ LUIZ GRIZANTE

Categoria: CLASSE: C4

Nascimento: 26/12/1976

Cidade: São Caetano do Sul (SP)

Participações Olímpicas: Estreia em Tóquio


André Luiz Grizante foi atleta profissional de ciclismo de Estrada entre os anos de 1995 e 2010, chegando a ser um dos principais nomes do ciclismo nacional. Durante a sua carreira, conquistou vários resultados importantes. Em 2013 sofreu um acidente de motocicleta, onde teve fratura de acetábulo com compressão e esmagamento do nervo ciático, que deixou uma lesão definitiva na perna esquerda. Três anos após o acidente, a convite de vários amigos, resolveu voltar as atividades no esporte e retornar às competições, mas desta vez no paraciclismo.



ANA RAQUEL MONTENEGRO BATISTA LINS

Categoria: CLASSE C5

Nascimento: 11/03/1991

Cidade: Natal (RN)

Participações Paralímpicas: Rio 2016 (Paratriathlon)


Ana Raquel nasceu com uma deficiência congênita, a Síndrome de Poland, que acomete principalmente a sua mão, parte do tórax e o abdômen esquerdo. Aos oito anos de idade, ela participou das primeiras competições de natação. Conheceu o esporte paralímpico em 2005 e participou dos seus primeiros Jogos Parapan-Americanos no Rio de Janeiro (2007).


Alguns anos depois, buscando novos desafios, Ana conheceu o Paratriathlon e passou a se dedicar a nova modalidade que lhe rendeu a participação nos Jogos Paralímpicos da Rio 2016. Em 2018 migrou para o paraciclismo e participou das principais competições de estrada e pista do calendário nacional e internacional, carimbando o seu passaporte para Tóquio 2020. Ana Raquel é a atual campeã brasileira de Pista e contrarrelógio, além de ter conquistado o 5º lugar na prova de resistência do Parapan de Lima 2019.

댓글


Siga o Planeta da Bike

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Nosso canal no Youtube

bottom of page