top of page

UCI Gran Fondo Brasil: ainda há tempo para se preparar, confira dicas de treino



Faltam menos de seis meses para a prova de ciclismo Gran Fondo mais importante do Brasil. A UCI Gran Fondo Brasil será no dia 5 de novembro, em Pomerode (SC). Vale destacar que a UCI Gran Fondo Brasil, uma prova clássica de ciclismo de longa distância, faz parte do calendário UCI Gran Fondo World Series e é a única seletiva na América do Sul para o mundial de Gran Fondo de 2024, na Dinamarca.

Todas as informações estão no site oficial www.ucigranfondobrasil.com.br e o segundo lote de inscrições está no final.

Embora o percurso de Pomerode não seja dos mais exigentes do calendário UCI Gran Fondo World Series é importante estudar a carta do percurso (disponível aqui) e programar os treinos de modo a chegar preparado para lidar com o relevo e a distância da corrida. Para a Gran Fondo serão 143km com 1.400 metros de altimetria acumulada, com predominância de subidas na primeira parte da prova.

“A prova é em novembro e tem bastante tempo para treinar. Seja para meramente completar no seu melhor tempo, para lutar pela qualificação para o mundial ou para brigar pelo pódio”, diz o treinador de ciclismo Gabriel Vargas.

O campeão geral deve cruzar a meta em cerca de 4 horas. O limite de tempo é de 6h30 para a Gran Fondo e 4 horas para a Medio Fondo, o que significa uma velocidade média de 22km/h para a Gran Fondo e 20km/h para os ciclistas da Medio Fondo.

Hugo Prado Neto / Bruno Sebastiao

Gabriel Vargas explica as diferenças no treinamento para os ciclistas que vão com o objetivo de concluir a prova e cumprir um objetivo pessoal, seja de tempo, colocação ou meramente completar a prova e para os ciclistas mais experientes e treinados, que vão em busca de um lugar no pódio ou até mesmo do título mundial, como é o caso do mineiro Hugo Prado Neto, que vai a Pomerode de olho na camisa arco-íris de 2024.

“A primeira preocupação é a de ser apto a lidar com a distância e com a quantidade de subidas, que não é nada fora do comum. Para quem já pedala 120km com facilidade e vai bem nas subidas, a UCI Gran Fondo Brasil não deve ser difícil”, explica Vargas. Segundo o treinador, ciclistas com aspiração ao pódio devem treinar com disciplina pelo menos 12 horas semanais.

Vargas lembra que, pelas características do relevo, a formação de pelotões será inevitável. “O ciclista tem que estar preparado para suportar a distância, sabendo que as subidas estão no começo. Nos trechos planos e nas subidas roladas deve saber se beneficiar dos pelotões, entrar nos grupos que se formam e revezar. Tem que saber controlar bem o próprio ritmo, manter a tocada numa subida sem se afogar e fazer de tudo para chegar junto com o pelotão na metade da prova já que o retorno para Pomerode tem predominância de descidas”, explica o treinador que tem um artigo em que explica em detalhes como andar e como se comportar em pelotões de ciclismo.

Vargas lembra que as condições climáticas como chuva e vento podem influenciar bastante o andamento da corrida e o ciclista deve estar prevenido quando ao clima e atento na prova.


A estratégica do treino para quem disputa a UCI Gran Fondo Brasil como um desafio pessoal é bem outra.


UCI Gran Fondo Brasil / Divulgação

Para quem está começando, está parado há algum tempo, é iniciante ou tem pouco tempo para treinar durante a semana, a dica de Vargas é ir aumentando gradativamente a duração dos treinos longos. O total de treinos semanais deve ficar em torno das 4-6 horas pelo menos.


“O percurso é tranquilo, então, se a pessoa tem a rotina de treino de pedalar 100km no fim de semana, no dia da prova vai conseguir completar. Quem tem rotina de treino muito apertada, que vai só para completar a prova e tem isso como desafio, deve treinar pelo menos três vezes por semana, sendo duas vezes durante a semana com treininhos de uma hora a 1h30 (pode ser no rolo) e no fim de semana deve rodar de 2 a 3 horas e eventualmente fazer uma rodagem mais longa, que será fundamental na Gran Fondo. Este seria o mínimo do mínimo de treinamento para terminar a prova”, orienta Vargas.


Segundo o treinador, treinos mais longos nos fins de semana com ascensão ao redor dos 700-750 metros num percurso de 80-100km são suficientes para a preparação de quem vai com o objetivo pessoal de completar.


Vargas lembra que o final da prova tem subidas que vão testar a resistência de todos. “Quem tiver mais resistência, quem se poupou mais e quem se alimentou e se hidratou melhor vai chegar nesta subida em melhores condições para a chegada”, completa.


“Seja qual for o objetivo de cada um na UCI Gran Fondo Brasil é importante o acompanhamento individual por um profissional capacitado”, finaliza Vargas.


Com a chancela da União Ciclística Internacional (UCI) e o patrocínio oficial da Fizik Itália, o evento faz parte do calendário internacional da UCI Gran Fondo World Series, que tem 28 etapas em 19 países de cinco continentes. A prova catarinense tem organização da Riders/Corre Brasil com realização pela AACESC e são esperados 2 mil ciclistas de vários países. “Grupos de ciclistas e jornalistas de países vizinhos já estão confirmados, em especial da Argentina, Uruguai e outros países da América Latina”, diz Juliano Salvadori, organizador do evento. A prova pode ser disputada em duas distâncias. O Gran Fondo com 143km e 1.400m de altimetria acumulada e o Medio Fondo, com 80km e menos de 1.000 metros de altimetria acumulada. O percurso, com asfalto muito bom, cruza belas paisagens do Vale Europeu, com cenários típicos do interior catarinense.

Todas as informações estão no site oficial www.ucigranfondobrasil.com.br e o segundo lote de inscrições está no final.


O UCI Gran Fondo Brasil é a única seletiva oficial na América do Sul para o campeonato mundial de Gran Fondo da temporada, em Aalborg, na Dinamarca.

Em Pomerode, serão qualificados os ciclistas de cada faixa etária que completem a prova em até 25% do tempo do primeiro colocado da sua categoria de idade e terão direito à disputa do título mundial da modalidade.

“Será uma prova com disputas incríveis. Grandes nomes do ciclismo já confirmaram a presença e muita gente vai se classificar para o Mundial”, explica Juliano Salvadori.

Podem participar da UCI Gran Fondo Brasil ciclistas federados e não federados, amadores e profissionais (desde que não estejam na disputa por pontos olímpicos e equipes ProTour) de 19 a 79 anos, que serão divididos em faixas de idade de cinco em cinco anos conforme o regulamento mundial “Age Group” da UCI. As bicicletas para a Gran Fondo podem ser de estrada, gravel e similares. Já na distância Medio Fondo é permitido qualquer tipo de bicicleta, inclusive as mountain bikes.

Comentários


Siga o Planeta da Bike

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Nosso canal no Youtube

bottom of page